Debaixo de vara: a condução coercitiva como cautelar pessoal autônoma – Por Vladimir Aras